Academia Paraense de Letras Homenageia o Almirante Thoríbio Lopes

Início da cerimônia

A Academia Paraense de Letras (APL) homenageou nessa quinta-feira (26) o centenário de nascimento do Acadêmico e Almirante (ALM) Thoríbio Lopes. A cerimônia foi presidida pela Doutora Izabel Benone, escritora e desembargadora aposentada. Estavam sentados à mesa o Desembargador Leonam Cruz; a 1º Tenente Fernanda  Giblio, representando a Capitania dos Portos da Amazônia Oriental (CPAOR); a Escritora e Desembargadora Izabel Benone; o Capitão de Mar e Guerra (CMG) Baptista Santos, Comandante do CIABA; e o Capitão Tenente Guilherme Silveira.

 

ALM Thoríbio Lopes

O orador oficial da cerimônia foi o Acadêmico Édson Franco (ocupante da cadeira Nº 9 na APL, a qual também foi ocupada pelo ALM Thoríbio Lopes) que proferiu a sua palestra contando um pouco sobre a vida do Acadêmico e Almirante. Thoríbio nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 1918. Poeta, Almirante reformado da Marinha do Brasil. Desde criança tinha paixão pelo mar, passava horas e horas esquecido no cais da Praça Mauá olhando a entrada e saída de navios. Seus primeiros estudos foram realizados no Externato São José e o Secundário no Colégio São José. Em 1934 passou a estudar em segredo para a Escola Naval, pois seu pai não queria que ele seguisse a carreira na Marinha pelos simples fato do fardamento ter que ser comprado, mas ele foi aprovado e ingressou. No ano de 1935, realizou a sua primeira viagem de instrução pelo litoral sul, engajado no navio Calheiros da Graça. Neste mesmo ano fez sua primeira visita a Belém do Pará, logo se enchia de amores pela terra e pelo povo hospitaleiro. Foi empossado na Academia Paraense de Letras em 21 de agosto de 1953, na cadeira nº 9 que tem como patrono o Barão de Marajó, anteriormente ocupada pelo desembargador Buarque de Lima. As atividades literárias e culturais de Thoríbio Lopes foram sempre férteis, nunca parou: Páginas esparsas; Glorificando; Maravilhosa pátria; Paisagens amazônicas; Terra de heróis; Fragmentos; Do Tejo ao Amazonas; A Presença da Marinha de Guerra do Brasil; Alma de nossa alma entre outras.

Comandante do CIABA com a Equipe do Jornal Canal 16

Após a oratória do Acadêmico Édson Franco, foi a vez do CMG Baptista Santos, representando o ALM Edervaldo Teixeira de Abreu Filho, que ressaltou a importância da Marinha e da Academia para a sociedade como um todo. A Doutora Izabel Benone fez os agradecimentos finais e a cerimônia foi encerrada com o canto do Hino do Pará.

 

 

Al. Paiva

TEXTO – Al. Paiva

Al. Gurgel

REVISÃO – Al. Gurgel

Al. Paiva

Al. Paiva

Diretor do Jornal Canal 16, Representante do CIABA Solidário, cursando o 3º ano do curso de Máquinas.

Você pode gostar...